quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Suplementos dietéticos são ineficazes para a maioria das pessoas

A maioria das pessoas que recorrem a suplementos de perda de peso não estão plenamente informados sobre a segurança e eficácia dos mesmos.
A informação é avançada por um estudo da «Consumer Reports», revelado esta terça-feira, que se baseia numa amostra de três mil norte-americanos para afirmar que são poucos os que experimentaram este tipo suplementos e conseguiram obter resultados e mantê-los.
O estudo mostra que um terço das pessoas não obteve qualquer tipo de resultado, e que apenas 9% da amostra conseguiu manter o peso atingido.
Mas, ainda assim, os suplementos não podem obter o crédito sozinhos, sendo que 85% das pessoas que atingiu a meta pretendida e manteve o peso, acompanhou a dosagem com uma alteração na dieta e com um plano de exercícios físicos.
Cerca de 20% das pessoas que usam produtos de perda de peso acredita que são seguros e testados pela Agência de Controlo de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA). No entanto, ao contrário do que acontece com os medicamentos prescritos, este tipo de suplementos não estão sujeitos aos mesmos critérios rigorosos, que exigem aos fabricantes a realização de testes de segurança e eficácia, antes de serem aprovados. Estes produtos, assim como os alimentos, são considerados seguros, até que haja relatos contrários por parte dos consumidores.
Cerca de 20% dos entrevistados acreditava que, por serem «naturais», os suplementos eram mais seguros do que os medicamentos prescritos, mas investigações recentes revelam que muitos destes produtos dietéticos contêm substâncias banidas por razões de segurança. Um dos estudos concluiu mesmo que dois terços dos suplementos de perda de peso incluem este tipo de ingredientes.
A investigação revela ainda que estes produtos nem sempre são benignos, tendo por base os relatos de metade dos consumidores entrevistados, que apontam para pelo menos um efeito colateral, desde a boca seca e constipação, a  problemas digestivos mais graves, diarreia, e aumento da frequência cardíaca.

Fonte: TVI24

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Bactéria da tosse convulsa está a mudar... e a enganar as vacinas

Investigadores britânicos identificaram alterações na bactéria que causa a doença com potencial para sabotar as vacinas existentes
Os sinais avolumaram-se, sobretudo na última década, com surtos mais frequentes de tosse convulsa em vários países, incluindo em Portugal, e a possibilidade de isso decorrer de perda de imunidade na população vacinada começou a ganhar terreno. Agora um grupo de investigadores britânicos encontrou indícios que parecem reforçar a hipótese e diz haver motivo para preocupação.
Num estudo publicado no Journal of Infectious Diseases, a equipa de Andrew Preston, da Universidade de Bath, no Reino Unido, confirma que a bactéria da tosse convulsa, a Bordetella pertussis, está a passar por modificações que lhe permitem escapar à ação das vacinas. E esta "evolução rápida", como lhe chamam os autores, poderá ter "consequências sérias" na capacidade das atuais vacinas para controlar a doença.

Fonte: Diário de Notícias

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Facebook cria app de autocolantes para fotos

O Facebook criou o Stickered, uma aplicação que permite aos utilizadores da rede social colarem diversos autocolantes e, assim, animarem as fotos que publicam na rede social. Os autocolantes desta aplicação podem ser colocados tanto em fotografias acabadas de tirar como em imagens mais antigas. Pergunta CM Usa efeitos nas fotos do Facebook? SIM NÃO No Stickered, os autocolantes que pretender adicionar às suas fotografias podem mesmo ser aumentados e ajustados ao tamanho que pretender. A aplicação é gratuita e está disponível para iOS e Android.

Fonte: Correio da Manhã

domingo, 28 de dezembro de 2014

Os polegares e o touch screen estão a mudar o nosso cérebro

O professor Arko Ghosh é o responsável por uma investigação que foi levada a cabo por duas universidades suíças e cujo objeto de estudo era a obsessão pelos smartphones com touch screen e que influência teria isso no cérebro.
“A tecnologia digital que usamos no nosso quotidiano molda o processamento sensorial dos nossos cérebros numa proporção que nos surpreendeu”, começou por dizer o investigador citado pelo Tech Crunch.
Os investigadores centraram o seu estudo na observação do córtex sensoriomotor que se ativa com o movimento dos dedos. Para tal realizaram eletrocardiogramas que mediram a atividade destas regiões do cérebro de 37 pessoas destras.
Os dados observados em pessoas que usavam smartphones com touch screen e telemóveis com as teclas antigas demonstraram que a atividade elétrica no cérebro dos primeiros aumentava com o movimento dos dedos. E mais. A quantidade de atividade do córtex cerebral associada ao polegar era proporcional à quantidade de tempo que o usuário passava a mexer no telemóvel.
Perante estes resultados, os investigadores concluíram que o processamento sensorial do córtex é continuamente alterado pela tecnologia digital.

Fonte: Notícias ao Minuto

sábado, 27 de dezembro de 2014

Ataque às redes da PlayStation e Xbox estraga Natal a milhões de jogadores

As redes da Sony e da Microsoft estiveram em baixo na véspera e no dia de Natal, aparentemente depois de terem sido alvo de um ataque por parte de piratas informáticos, que deixou milhões de jogadores sem acesso às redes.
Muitos utilizadores recorreram às redes sociais para se queixarem de problemas no acesso às respetivas redes, que permitem jogar online mas também o acesso a serviços como o Netflix. A Microsoft diz que o serviço continua com limitações, enquanto a página da Sony diz que a rede está desligada.
Mais de 110 milhões de pessoas usam a rede da PlayStation (PSN) e pelo menos 46 milhões usam a da Microsoft (Xbox Live).
O ataque do tipo "distributed denial of service", ou DDoS, deita abaixo as redes ao gerar pedidos de acesso falsos, sobrecarregando as redes. Um grupo de hackers que se intituta "Lizard Squad" assumiu a autoria do alegado ataque.
Na conta de Twitter Ask PlayStation, a Sony assumiu que os engenheiros da empresa estão a tentar resolver os problemas da rede, mas não especificou se houve um atatque. o apoio ao cliente da Xbox, também no Twitter, reconheceu que alguns utilizadores estavam com dificuldade em aceder à rede.
Esta não é a primeira vez que a rede da Sony sofre ataques DDoS: em agosto e no princípio do mês.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Um copo de vinho que não entorna!

A Super Duper Studio criou um copo que parece imune a um dos maiores dramas dos apreciadores de vinho: entornar. E o produto está a ter de tal maneira atenção que já há dificuldade que já há dificuldade em dar vazão às encomendas.
O copo em causa chama-se Saturn Wine Glass e é notícia no Huffington Post. O pequeno vídeo que a Super Duper Studio usa para mostrar o produto também fala por si só: no vídeo podemos ver uma mão a entrar no plano só para pôr o copo a girar e a verdade é que o vinho continua no copo.
Cada unidade custa 52 dólares (cerca de 42 euros) e no site onde se pode conhecer o copo a empresa que o vende admite que a procura tem sido “avassaladora”.

Fonte: Notícias ao Minuto

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Facebook perde 8% dos adolescentes

 A consultora de marketing norte-americana Frank N. Magid Associates apurou, num relatório divulgado esta sexta-feira, que a percentagem de utilizadores norte-americanos do Facebook, com a idade compreendida entre os 13 e os 17 anos baixou de 95% para 88%, desde 2012. No mesmo período, o Twitter e outras aplicações de conversação aumentaram de popularidade entre o mesmo grupo de idades, de acordo com o estudo. Este relatório mostra também que, entre os adolescentes de 13 e 17 anos, a utilização do Twitter subiu 2% para um total de 48%. Enquanto mais pessoas utilizam o Facebook e a respetiva aplicação de conversas (Messenger), apenas 55% dos utilizadores têm menos de 37 anos. Nas mesmas contas, 86% dos utilizadores do Snapchat e 83% do Kik têm menos de 37 anos. No entanto, nem tudo é problemático para a empresa de Mark Zuckerberg. O Instagram foi comprado em 2012 pelo Facebook que, este ano, comprou o WhatApp, minimizando eventuais perdas.

Fonte: Correio da Manhã

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal!

Desejo a todos os leitores do EvoluCiência um excelente Natal! :)

Cientistas descobrem nova doença

Há uma nova doença a preocupar a comunidade médica. Os cientistas chamaram-lhe «vírus de Bourbon», condado norte-americano no estado do Kansas onde a doença fez a sua primeira vítima mortal há seis meses.
John Seested, de 68 anos, deu entrada no hospital da Universidade do Kansas em junho, onde acabou por falecer. Desde aí, os investigadores não descansaram até desvendar o mistério da sua morte.
Esta doença é transmitida pelos carrapatos e assemelha-se a um outro vírus, que também se transmite através da picada deste parasita vulgar nos cães.
O vírus provoca febre, mal estar, dores musculares e anorexia. O paciente de 68 anos sofreu destes sintomas até falecer, quando vários órgãos começaram a falhar. É o único caso diagnosticado até o momento, segundo noticia o «Independent».  

Fonte: TVI24

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Lentes revolucionárias devolvem visão aos olhos mais velhos

Chamam-se TECNIS Symfony, imitam o funcionamento de um olho jovem e devolvem a visão às pessoas com cataratas, astigmatismo e miopia.
As lentes, intraoculares, feitas de plástico e sem necessidade de serem substituídas, são inseridas numa operação simples. Funcionam a qualquer distância, sob quaisquer condições de luz e agem como se fossem uma lente de aumentar de uma câmara, com três focos distintos. Dispensam os óculos e oferecem uma imagem nítida ao perto e ao longe.
A britânica Susan Wright sofria de cataratas e foi uma das primeira pessoas a testar este avanço da tecnologia ao serviço da medicina. Com 57 anos, decidiu fazer a cirurgia a ambos os olhos. Ao The Telegraph, contou que a sua visão melhorou consideravelmente e que "tudo se torna mais nítido e as cores são muito mais brilhantes". A intervenção foi feita numa clínica londrina e não é comparticipada pelo estado. O preço de cada lente pode chegar aos 5 mil euros.

Fonte: Diário de Notícias

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Como prolongar a vida do seu disco externo?

Remover sempre o seu disco externo em segurança é o princípio básico para evitar problemas. Se quer que os seus dados (sejam músicas, filmes, fotografias ou outros documentos) se mantenham em segurança, evite ao máximo ligar o disco a computadores alheios, principalmente quando estes são ligados à internet.
Assim, evita que o dispositivo apanhe vírus, o que obrigaria a fazer uma formatação, que apaga os conteúdos nele gravados, como refere o TechTudo.
Tenha atenção a outro aspeto importante: o disco externo pode ser desmagnetizado, pelo que deve mantê-lo longe de ímanes ou dispositivos magnéticos.
E porque cuidado nunca é demais, verifique a temperatura do aparelho. Temperaturas demasiado altas podem ser sinónimo de alerta.
Além disso, faça uma desfragmentação de tempos a tempos. Sempre que um ficheiro é apagado ou modificado, criam-se fragmentos que deixam o disco mais lento.

Fonte: Notícias ao Minuto

domingo, 21 de dezembro de 2014

Tire o carro do estacionamento só com um relógio

BMW projeta carro que estaciona sem condutor e, se o chamar pelo relógio, ele vai ter consigo.
Recorda-se de Michael Knight, na série O Justiceiro, comunicar com o seu carro através de um relógio: "KITT vem buscar-me!" Estávamos nos anos entre 1982 e 86? Esta tecnologia avançada demais para a época está agora a aproximar-se da realidade. Em 2015, a BMW vai revelar avanços tecnológicos no desenvolvimento de veículos autónomos, incluindo um assistente ao estacionamento acionado através de um smartwatch (relógio inteligente) – tal como na série de grande sucesso dos anos 80. O carro – neste caso um BMW –, estará equipado com quatro scanners a laser avançados que detetam possíveis perigos durante o trajeto (é o caso de uma pessoa, um animal ou um carro que se atravesse na estrada). Os dados recolhidos são depois utilizados pelo computador de bordo que dá sinal para o veículo travar automaticamente, por exemplo, se for caso disso. A BMW explica que a informação registada pelos scanners pode ser combinada com mapas das estradas para permitir uma condução autónoma. Usando um smartwatch, os utilizadores podem ativar o assistente ao estacionamento. O que vai acontecer? O carro procura sozinho um lugar de parqueamento, ou sai desse lugar e vai ter consigo, por exemplo, à porta de um edifício. O fabricante bávaro anunciou esta evolução tecnológica num dia em que dificilmente alguém diria: 'não acredito'. Isto porque se estava a fazer uma demonstração de um carro conduzido autonomamente no circuito de Las Vegas, nos Estados Unidos. A Audi também apresentou tecnologias semelhantes no ano passado. No entanto, estes veículos só podiam ser utilizados em ruas que tivessem sido previamente alvo dos tais scanners.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 20 de dezembro de 2014

Ser magra já nem sempre é o que mais agrada

Maria Southard Ospina, uma jornalista e blogger de moda «Plus Size», pediu a 17 editores de revista de moda, um pouco por todo o mundo, que a partir de uma única fotografia lhe retocassem a imagem através do uso do programa «Photoshop», para a tornarem «mais bonita» e para que se adequasse às «normas» socialmente aceites nos países onde trabalham.
É a magreza o padrão de beleza determinante em todo o mundo? Será que todos os editores de imagem iriam sucumbir à tentação de lhe aperfeiçoar as características? Eram as perguntas que incomodavam a jovem norte-americana de origem colombiana, de 21 anos.
O resultado é bastante surpreendente. A jovem pensou que a maioria dos editores de imagem lhe modificaria a estrutura óssea e o peso para que parecesse mais magra. Mas enganou-se. Só três editores lhe reduziram drasticamente o peso, afirma Maria Southard Ospina, no artigo que publicou no site Bustle.
Num trabalho impressionante, Maria Southard Ospina acabou, algumas vezes, por sofrer apenas alguns retoques, e houve mesmo quem, como foi o caso de um editor de moda da Islândia, lhe alterasse apenas alguns pormenores porque não concordava em «retocar a beleza natural de uma pessoa».
«Não acho que a experiência tenha servido para acabar com o preconceito em relação aos mais gordos. Nem que, de repente, tenha revelado que somos todos aceites na nossa diversidade. Mas ele demonstrou que a beleza não se pode definir», afirmou Mary Southard Ospina ao «The Huffington Post».
«Talvez as coisas estejam a mudar»
Das 17 pessoas que retocaram a imagem de Maria Southard Ospina através de «Photoshop», apenas três lhe reduziram drasticamente o peso: Ucrânia, México e Letónia. Outras, como a Índia e o Sri Lanka removeram todas as pequenas imperfeições. Em todas as fotos, a jovem tem uma pele lisa como a de uma modelo de capa de revista. Ainda assim, Mary Southard Ospina está feliz com o resultado.
«Fiquei surpreendida por ver que, na maioria das fotos, eu continuo muito igual a mim mesma», afirmou. «A maioria deles preservou a minha beleza natural, algo que eu nunca pensei possível. E vejo tudo isso de uma forma muito positiva. Talvez este seja o sinal de que as coisas estejam a mudar?», questionou.

Fonte: TVI24

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Telescópio espacial Kepler descobre "Super Terra"

Depois de ter ultrapassado alguns problemas técnicos detetados em maio de 2013, o telescópio espacil Kepler, da Agência Espacial Norte Americana (NASA) está de volta ao "ativo" e a mostrar serviço. O último achado é um planeta catalogado como HIP 116454b e descrito pelos cientistas como uma "Super Terra", com duas vezes e meia a área do nosso planeta.
De acordo com o site Space.com, o planeta está localizado na constelação de Peixes, a 180 anos-luz da Terra, suficientemente próximo para poder ser estudado por outros instrumentos.
A Kepler foi lançada em Março de 2009, tendo por missão determinar a frequ~encia com que planetas de caraterísticas semelhantes à terra ocorrem na Via Láctea. A missão de três anos e meio estende-se já por cinco e o balanço é impressionante: perto de um milhar de planetas confirmados e 3200 outros "candidatos".

Fonte: Diário de Notícias

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Identificados 53 fármacos que podem conter o vírus do ébola

Uma equipa internacional de cientistas identificou, de um universo de 2816 fármacos, 53 que poderão servir para travar a disseminação do vírus do Ébola nas células.
Apesar disso, e ainda que todos os fármacos identificados estejam já aprovados para uso em pacientes com outras patologias, são precisas mais investigações e testes em animais e humanos.
Esta é uma das principais conclusões de um estudo publicado na revista Emerging Microbes and Infections, do grupo editorial Nature, no qual participaram cientistas de centros dos Estados Unidos e Canadá.
Adolfo García-Sastre, da Escola Icahn de Medicina do Hospital Monte Sinai, em Nova Iorque, explicou à agência Efe que alguns dos medicamentos identificados encontram-se já no mercado, enquanto outros não, mas que todos foram aprovados para uso.
Para realizar a investigação, os cientistas geraram partículas virais não infeciosas que usam o mesmo mecanismo de entrada nas células que o Ébola.
"Uma das importantes razões que tivemos em conta para publicar este estudo antes de fazer experiências com animais prende-se com o facto de esperarmos que todos os laboratórios que têm capacidade para realizar experiências com o vírus infecioso possam começar a fazer ensaios e encontrar um ou vários destes fármacos que funcionem bem", explicou García-Sastre.
"Apesar de [os fármacos] ainda terem de ser testados com vírus infeciosos, é quase seguro que a maioria inibe a entrada do Ébola nas células. Com isso, esperamos travar a infeção e, portanto, diminuir os sintomas graves da doença", detalhou o especialista, frisando, porém, que ainda é preciso demonstrar se tal é mesmo assim e estabelecer a dosagem do medicamento.
Os cientistas classificaram os 53 medicamentos em seis categorias.
Segundo os mais recentes dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgados na segunda-feira, foram detetados quase 18 500 casos de Ébola, 99% dos quais na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri, registando-se 6900 mortos.
O atual surto de Ébola é o mais grave e prolongado desde que o vírus foi descoberto, em 1976.
A OMS decretou, a 08 de agosto, o estado de emergência de saúde pública.

Fonte: Diário de Notícias

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Física quântica poderá impedir clonagem de cartões

A próxima geração de cartões de crédito poderá ser imune a clonagens, pois está a ser desenvolvida uma forma de impedir que tal crime aconteça.
Segundo explica o Extreme Tech, este sistema é denominado Quantum-Secure Authentication e utiliza partículas individuais de luz para codificar os dados contidos no cartão. Para desenvolver este projeto, os cientistas basearam-se na física quântica.
Assim, a tarja magnética que agora os cartões têm vai ser substituída por uma tinta que contém milhões de nanopartículas. Depois, as partículas individuais de luz serão projetadas nas nanopartículas com a ajuda de um laser, criando desta forma um padrão que será utilizado para que um cartão seja autenticado.
Por outras palavras, este sistema impede que os falsificadores de cartões consigam descobrir a ‘chave-padrão’.

Fonte: Notícias ao Minuto

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Pulseira projeta ecrã tátil no braço

No futuro, poderá ver filmes ou aceder à internet no seu braço. Mas este futuro não é assim tão longínquo. A empresa Cicret está a criar uma pulseira que vai projetar um ecrã tátil no seu braço. Esta pulseira vai permitir-lhe fazer tudo aquilo que um telemóvel ou um tablet fazem, visto que o fabricante pretende que inclua um cartão 3G. O dispositivo vai ter dois modelos, um de 16GB e outro de 32GB, e será lançado em 10 cores. A empresa ainda está em processo de angariação de fundos, mas acredita que a pulseira possa chegar ao mercado em junho de 2015. No seu site, a Cicret informa que precisa de 300 mil euros para desenvolver a app e mais 700 mil para o protótipo. Ao início da tarde desta segunda-feira, já tinham atingido 14% do valor total. Os donativos são feitos por Paypal a partir do site.

Fonte: Correio da Manhã

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Erro na Amazon levou à venda de produtos a pouco mais de um euro

Um erro na Amazon levou a que vários produtos fossem vendidos por pouco mais de um euro. Os vendedores afirmam que perderam milhares de euros com este erro.
Em apenas um hora, os vendedores temem que tenha sido o suficiente para os levar à bancarrota.
A Sky News dá conta que algumas empresas utilizam o sistema (pago) da RepricerExpress, software que está programado para automaticamente alterar os preços de forma a manter determinado mais barato na internet.
“Perdi quase 25 mil euros de um dia para o outro. Pedi à Amazon para cancelar as encomendas, mas ele continua a enviá-las e a cobrar taxas horríveis. Certamente que alguém terá de ser responsabilizado. Por este andar estarei na bancarrota até ao final de janeiro”, disse uma vendedora, Judith Blackford à Sky News.
A Amazon diz estar ciente do erro. “Reagimos rapidamente e conseguimos cancelar a maioria das encomendas e não serão imputadas custos ou taxas aos vendedores por essas encomendas canceladas. Estamos agora a rever o pequeno número de encomendas que foram processadas e iremos contactar diretamente com os vendedores afetados”.

Fonte: Notícias ao Minuto

domingo, 14 de dezembro de 2014

Facebook considera botão de "dislike"

Quando alguém partilha notícias tristes no Facebook, não é normal fazermos "Like" ("Gosto") na publicação. A rede social quer uma solução para que os utilizadores possam mostrar que se importam sem parecerem "insensíveis", mas um botão "Dislike" ("Não Gosto") não é uma hipótese. Pergunta CM Gostaria que o Facebook tivesse um botão de "dislike"? SIM NÃO "Temos de descobrir uma maneira em que acabe por ser uma força para o bem e não uma força para o mal", afirmou Mark Zuckerberg. O fundador não quer que esta possa ser usado de forma cruel pelos utilizadores. Ainda não se sabe quando é que esta alternativa, que já é falada desde 2010, vai estar disponível, mas a solução, para já, é enviar stickers do "Dislike" ("Não Gosto") nos comentários das publicações.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 13 de dezembro de 2014

Fármaco semelhante à cafeína ajuda a combater Alzheimer

Um grupo de cientistas, que inclui investigadores portugueses, demonstrou que um fármaco semelhante à cafeína atua sobre lesões cerebrais relacionadas com a doença de Alzheimer e melhora o desempenho de funções da memória nos doentes.
Os investigadores usaram um novo fármaco da família da cafeína, o MSX-3, que conseguiu atacar uma das principais causas do declínio cognitivo característico da doença, que é a acumulação de uma proteína responsável pela morte das células nervosas cerebrais.
«Dando este fármaco aos animais num período de tempo de um a dois meses, não verificamos reversão total das características, mas conseguimos uma melhoria significativa no desempenho, nas tarefas de memória, portanto o aumento da memória, conseguimos diminuir os sinais de inflamação no cérebro e também mostrar a diminuição, ou uma melhoria significativa, na acumulação de proteínas anormais», explicou esta sexta-feira à agência Lusa a neurocientista do Instituto de Medicina Molecular (IMM) Luísa Lopes.
O estudo, que aponta novas estratégias no combate à doença, foi publicado na revista «Molecular Psychiatry», do grupo «Nature», e resultou do trabalho de um grupo de investigadores do Institut National de la Santé et de la Recherche Médicale, em França, em colaboração com o IMM, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, e da Universidade de Bonn, na Alemanha.
O principal avanço é perceber que, num modelo já com progressão da doença, «um fármaco desse tipo atua», referiu a cientista, recordando que estudos anteriores já tinham concluído que a cafeína é benéfica em algumas situações deste tipo.
No entanto, este fármaco «tem uma natureza mais focada, com menos efeitos secundários», realçou.
Luísa Lopes referiu três características principais observadas na doença humana que são neuroinflamação, défices de memória ou desempenhos alterados ou reduzidos e uma acumulação de proteínas anormal. E os cientistas queriam perceber em qual delas o fármaco poderia ter uma ação positiva.
«Era esse o objetivo, testar o fármaco numa situação "in vivo" [em animais] e conseguir mostrar que era benéfico numa situação já de lesão mais avançada», por isso, foi ministrado a animais que já tinham lesões, défices cognitivos e de memória, lesões ao nível do tecido cerebral e sinais de inflamação do cérebro.
O próximo passo do trabalho destes cientistas é utilizar este conhecimento para testar a atuação do fármaco no défice cognitivo.
«Já há fármacos desta família testados em ensaios clínicos, [mas] nunca foram testados para défice cognitivo», as experiências realizaram-se sobretudo para doenças do foro motor, normalmente para a doença de Parkinson, segundo Luísa Lopes.
Agora, «o que estamos a tentar fazer com a equipa que sintetizou [o fármaco] é usar estas descobertas para conseguir argumentar a favor de usá-lo também no défice cognitivo», especificou.

Fonte: TVI24

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Os homens são mais idiotas do que as mulheres... É a ciência que o diz!

É uma verdade quase provada pela ciência... ou pelo menos uma teoria sustentada num estudo britânico: os homens são mesmo mais idiotas do que as mulheres. Chama-se teoria da idiotice masculina (MIT, na sigla em inglês) e é apresentada por investigadores num artigo publicado hoje no British Medical Journal (BMJ).
Muitos estudos realçam que os homens são mais propensos a correr riscos e a comportamentos arriscados, mas na maior parte dos casos há uma contrapartida. Mas esta investigação avança provas para sustentar a hipótese de que os homens também são mais propensos a comportamentos arriscados quando não há nenhum benefício.
Para provar esta teoria os investigadores analisaram vinte anos de dados dos Darwin Awards, prémios atribuídos às mortes mais absurdas, por assim dizer. Ao longo de duas décadas os prémios distinguiram casos como o do homem que tentou ir de boleia para casa ao prender o carrinho das compras a um comboio ou o do homem que deu um tiro na cabeça para mostrar a um amigo que a arma era real.
O que há em comum entre estes casos: a maioria é de homens. Dos 318 casos relatados considerados válidos, 88,7% (282) tinham homens como protagonistas e só 11,3% mulheres (36), um argumento de peso para provar a teoria da idiotice masculina. Os investigadores confessaram a sua perplexidade perante a disponibilidade masculina para correr riscos desnecessários - como ritual de passagem ou para impressionar amigos, por exemplo.
"De acordo com a teoria da idiotice masculina muitas das diferenças nos comportamentos arriscados, admissões nas urgências, e mortalidade podem ser explicadas pelo facto de que os homens são idiotas e idiotas fazem coisas estúpidas", diz Dennis Lendrem, da Universidade de Newcastle.
Resta dizer que a edição de Natal do BMJ aceita estudos mais fora da caixa, embora mantenha os padrões de qualidade científica e revisões pelos pares.

Fonte: Diário de Notícias

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Amazon testa bicicletas para fazer entregas

A Amazon quer que as encomendas cheguem aos clientes em menos de uma hora e, para tal, deu início a uma série de testes em bicicletas.
Segundo o The Wall Street Journal, a empresa de comércio eletrónico quer que estes veículos sejam usados para fazer chegar os pedidos de forma rápida e eficaz. O serviço está, para já, a ser testado em Nova Iorque e acontece um ano depois da Amazon ter colocado em ação uma série de drones.
Mas uma entrega mais rápida tem custos. Se os consumidores querem os produtos em casa apenas uma hora depois de os comprarem terão que pagar cerca de seis dólares. Se não se importarem de receber um pouco mais tarde, a entrega é feita de forma gratuita.

Fonte: Notícias ao Minuto

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Lamborghini é o smartphone que todos vão querer

A Lamborghini vai lançar um smartphone limitado a 1947 luxuosas unidades. A Lamborghini, marca mítica graças aos seus carros superdesportivos, vai acrescentar um novo modelo à curta lista de luxuosos smartphones, vendidos também a preços de luxo. O lançamento do novo 88 Tauri vai acontecer ainda antes do ano acabar, talvez para caber em alguns sapatinhos de Natal. O Lamborghini 88 Tauri parece fiel às linhas afiladas dos carros da marca – transparece até um design, de certa forma, agressivo, muito pouco comum em telemóveis. Os materiais também são de primeira, conjugando o metal, com preto e ouro, e pele que pode optar por uma tonalidade preta ou azul, se preferir tons mais sóbrios, ou vermelha, laranja ou pérola, se quiser arrojar. O ecrã Full HD é de cinco polegadas e o processador é um 2.3 GHz quad-core Qualcomm Snapdragon 801, com 3 GB de RAM e memória de 64 GB expansível. A câmara atrás é de 20 megapixéis e a da frente é de oito. A bateria é suficiente para 35 horas a falar e mil em standby. O Lamborghini 88 Tauri é o smartphone que todos vão querer, mas (muito) poucos vão poder comprar. É que vai custar 4880 euros e está limitado a 1947 unidades – um número estranho, mas que representa o ano de nascimento de Tonino Lamborghini, fundador do grupo empresarial com o mesmo nome.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 6 de dezembro de 2014

Os destinos preferidos dos utilizadores do Instagram em 2014

O Instagram é uma das redes sociais preferidas de quem gosta de tirar fotografias e de viajar. Com mais de 200 milhões de utilizadores ativos, a plataforma apresenta uma média de de 60 milhões de fotografias novas por dia.
A aplicação permite, por um lado, captar instantes do quotidiano e partilhá-los com uma comunidade de utilizadores e, por outro, localizar os lugares em que essas imagens foram registadas e identificá-los através de uma hashtag.
Agora que 2014 está a terminar, o «USA Today» divulgou as hashtags de geolocalização mais utilizadas do ano. Na lista dos 10 lugares mais fotografados, cinco ficam nos Estados Unidos. Dos países europeus, apenas a Rússia e a França têm lugar nestas escolhas.
Saiba quais foram os 10 destinos preferidos dos utilizadores do Instagram.
1.  Disneyland, Anaheim, Califórnia (Estados Unidos)
2.  Estádio dos L.A. Dogers, Los Angeles (Estados Unidos)
3.  Times Square, Nova Iorque (Estados Unidos)
4. Centro Comercial «Siam Paragon», Banguecoque (Tailândia)
5. Parque Gorky, Moscovo (Rússia)
6. Museu do Louvre, Paris (França)
7. Praça Vermelha, Moscovo (Rússia)
8. Madison Square Garden, Nova Iorque (Estados Unidos)
9. Estádio dos New York Yankees, (Nova Iorque (Estados Unidos)
10. Centro comercial do Dubai, Dubai (Emirados Árabes Unidos)

Fonte: TVI24

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

O Spectrum está de volta, mais rápido e com mil jogos incluídos

Icónico computador vai voltar sem o leitor de cassetes, mas com os jogos que marcaram uma década do século XX.
A tecnologia também permite algum revivalismo. Mais de 30 anos depois do primeiro Spectrum, eis que chega uma nova versão, mais evoluída (sem leitor de cassetes), mas com os mesmos jogos que marcaram a década de 80. E o sucesso parece estar garantido, pois a campanha de crowdfunding que pretendia angariar cem mil libras (cerca de 127 mil euros) até 30 de janeiro, já ultrapassou o valor em apenas três dias.
O objetivo é criar os primeiros mil Sinclair Spectrum Vega que já têm preço de custo: cem libras (cerca de 127 euros). Além dos mil jogos já incluídos, será possível fazer o download de outros. Nos anos de ouro do computador, foram vendidos cinco milhões de Spectrum. Agora, depois dos mil (que só serão distribuídos no próximo ano), a empresa Retro Computers quer construir mais três mil e depois dez mil, como se pode ler no site de crowdfunding.
A Retro Computers tem como acionista a Sinclair Research, detida por Sir Clive Sinclair, o homem que criou o Spectrum original. A empresa explica que está a falar com quem tem os direitos de software do Spectrum para que sejam feito donativos para um hospital de crianças.

Fonte: Diário de Notícias

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Vamos dizer adeus à televisão em 2030?

“A era da transmissão de televisão irá durar provavelmente até 2030”,afirmou, num evento na Cidade do México, o CEO do Netflix.
O responsável pelo serviço de streaming aponta 2030 como o ano em que as transmissões de televisão serão encerradas, fazendo uma comparação com o que aconteceu quando surgiram os automóveis.
“É parecido com o que aconteceu com o cavalo. Foi bom até à chegada do automóvel”, afirmou Hastings, certo de que os consumidores têm adotado formas alternativas de consumir conteúdo televisivo, como conta o The Hollywood Reporter.
Contudo, o empresário estima que os canais não deixem de existir, uma vez que os fornecedores se adaptarão à nova realidade, migrando para plataformas móveis.

Fonte: Notícias ao Minuto

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Conheça a cidade sustentável criada no Japão

Fujisawa vai diminuir os gastos de energia e aproveitar os recursos naturais. Por J.S. A Fujisawa Sustainable Smart Town foi inaugurada esta quinta-feira, a 50 quilómetros de Tóquio, a capital do Japão. O projeto, que se localiza nos 19 hectares de uma antiga fábrica da Panasonic, vai estar finalizado em 2018. Com mil habitações, vão poder viver nesta cidade três mil pessoas. As tecnologias instaladas permitem cortar os custos energéticos em 70% nas habitações e em 20% nos locais públicos.

Fonte: Correio da Manhã

domingo, 30 de novembro de 2014

Kit português para diagnóstico precoce de cancro oral premiado

Um 'kit' de diagnóstico precoce de cancro oral venceu o 16.º Prémio do Jovem Empreendedor, promovido pela Associação Nacional dos Jovens Empresários (ANJE), foi anunciado esta quinta-feira.
Denominado Blue Stain, o 'kit' permite a colheita de células do corpo e a sua análise em apenas alguns minutos e é uma inovação desenvolvida pela ‘startup’ Targetalent, instalada em Paredes, distrito do Porto.
Fonte da ANJE afirmou hoje à Lusa que este 'kit' “direciona-se, sobretudo, para o diagnóstico do cancro oral”, que é feito através da recolha de células do corpo e a sua análise imediata, com recurso a um interface digital.
«O plano de negócios desta ‘startup’ especifica um investimento de 200 mil euros, valor já assegurado por dois investidores ('business angels')», acrescentou a mesma fonte.
Liderada por Paula de Melo Alves e Francisco Ferreira, a empresa de Paredes apresentou a entidades de capital de risco o conceito deste 'kit' considerado inovador em novembro do ano passado, no âmbito da 16.ª Feira do Empreendedor.
Na cerimónia de entrega dos prémios da ANJE, que decorreu na noite de quinta-feira no edifício da Alfândega, no Porto, foi também atribuída uma menção honrosa à Peekmed, que detém uma solução tecnológica (software) para o planeamento 3D da cirurgia ortopédica.
Esta tecnologia «permite que o ortopedista faça uso de um modelo 3D gerado a partir da tomografia computorizada do paciente de representações digitais 3D do material de osteossíntese (parafusos, placas de fixação, por exemplo)», disse a fonte.
Esta foi a 16.ª edição do Prémio do Jovem Empreendedor, criado em 1998 e que este ano registou 15 candidaturas, das quais cinco foram selecionadas como finalistas.
A ANJE atribuiu ainda o Prémio Carreira a António Mota, que preside o conselho de administração do Grupo Mota-Engil, considerando o presidente da ANJE, João Rafael Koehler, que o engenheiro é “um exemplo de espírito de iniciativa, de coragem para assumir riscos, do trabalho abnegado e da visão para os negócios que a associação pretende transmitir aos jovens empreendedores portugueses.

Fonte: TVI24

sábado, 29 de novembro de 2014

Com este elevador sem cabos, nunca vai esperar mais de 30 segundos

Os novos elevadores, apresentados pela ThyssenKrupp, vão usar ímanes para se deslocarem, tanto na vertical como na horizontal.A empresa alemã ThyssenKrupp apresentou esta semana aquilo a que chama a próxima geração de elevadores. Trata-se de um elevador sem cabos, que depende de ímanes para se deslocar, não só de cima para baixo, mas também na horizontal.
Com esta tecnologia, vários elevadores podem usar o mesmo poço, o que tornaria os intervalos de espera muito mais curtos, e facilitaria a construção de arranha-céus, cuja altura e estrutura é limitada hoje pela necessidade de um poço central de elevadores movidos por cabos.
A tecnologia Multi, a que a ThyssenKrupp chama "o santo graal da indústria dos elevadores", de acordo com o Financial Times, faz com que as cabines de elevador, fabricadas com um material ultra leve, circulem pelos poços a uma velocidade de cinco metros por segundo, o que significa que os passageiros só esperarão entre 15 e 30 segundos pelo próximo elevador disponível.
"À medida que a natureza das construções de edifícios evolui, é necessário adaptar os sistemas de elevadores", explica Andreas Schierenbeck, diretor-geral da ThyssenKrupp Elevator AG, em comunicado. "A Multi representa um momento de orgulho da história da ThyssenKrupp".
A empresa realça que o novo modelo é lançado para comemorar os 150 anos do nascimento do elevador em Nova Iorque. A primeira unidade da Multi vai começar a ser testada em 2016.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Estes 'tampões' de ouvido prometem melhorar a sua noite

Tem sono leve? Acorda com qualquer barulhinho? Pois bem, este artigo é para si. Dá conta o Huffington Post que chegaram ao mercado uns novos tampões de ouvidos que prometem bloquear todo o ruído, substituindo-o por sons bem mais agradáveis.
Os Smart Earplugs da Hush apenas precisam de uma ligação ao seu smartphone, sem fios, tocando depois uma multiplicidade de sons, como ondas do mar ou chuva a cair, prometendo melhorar a sua experiência durante o sono.
Ouvir o alarme do despertador também não será um problema, porque este tocará, na hora que agendou, diretamente nos seus ouvidos.
Inventado por dois estudantes da Universidade da Califórnia os auscultadores da Hush precisavam de um financiamento de 100 mil dólares. Por isso, procuraram investidores no Kickstarter, e desde 12 de novembro, altura em que registaram o projeto, já conseguiram 240 mil dólares.

Fonte: Notícias ao Minuto

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Vodka para descongelar neve na estrada

Um grupo de investigadores de clima da Washington State University (WSU) está a utilizar resíduos de cevada das destilarias de vodka para desenvolver descongeladores, amigos do ambiente, para retirar a neve das estradas.
Todos os invernos, o governo dos EUA gasta mil e oitocentos milhões de euros (2,3 biliões de dólares) para remover a neve e o gelo das estradas, mas também outros quatro mil milhões de euros (5 biliões de dólares) para mitigar custos adicionais que o processo acarreta. A maioria das centenas de toneladas de sal que é aplicada nas estradas americanas não se degrada e causa os danos nos veículos e no ambiente.
«Em 2013, a [Agência de Proteção Ambiental] relataram níveis alarmantes de sódio e cloreto em águas subterrâneas ao longo da Costa Leste», disse Xianming Shi, professor associado de engenharia civil e ambiental, num comunicado de imprensa da WSU. Como uma nação «somos viciados em sal, tal como com o petróleo, porque tem sido barato e conveniente nos últimos 50 anos», acrescentou.
O trabalho de Shi faz parte de um Departamento de Transporte, fundado em colaboração entre a WSU, a Universidade de Alaska Fairbanks e a Universidade Estadual de Montana.
Além do desenvolvimento de descongeladoras, a equipa está a trabalhar na tecnologia de limpa-neves inteligentes, equipados com sensores que recolhem dados para ajudar os operadores a regular a quantidade de sal que aplicam. Os investigadores também estão a trabalhar em software e novos tipos de cimento.
«O nosso objetivo final é aplicar a melhor quantidade de sal, areia ou descongeladores no local certo, no momento certo», explicou Shi à revista Time.

Fonte: TVI24

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Aranhas, insetos, dinossauros e até parasitas com nomes muito famosos

Música, cinema, teatro e política: não há área que escape quando se apelida uma nova espécie. O processo não é fácil, mas com uma boa justificação é possível.
Mick Jagger é um fóssil de um trilobite. Lady Gaga é um mamífero extinto. Barack Obama é uma aranha. Não, ninguém tentou ofender estas figuras públicas, muito pelo contrário. Os famosos têm servido de inspiração de vários nomes para novas espécies de animais, plantas e até parasitas (Obama também é um). Vespas, escaravelhos e aranhas são as espécies que mais recebem nomes de famosos, mas há quem tenha sido homenageado com animais bem maiores: Steven Spielberg e Michael Crichton (realizador e escritor de Jurassic Park) inspiraram, sem surpresa, nomes de dinossauros... ainda que do período Cretáceo.

Fonte: Diário de Notícias

domingo, 23 de novembro de 2014

'Milagre tecnológico' transforma água em combustível

Não será fácil convencer os mais céticos daquilo que a empresa alemã Sunfire GmbH conseguiu. É considerado pelo CNet um milagre tecnológico, mas poderá, na verdade, uma das invenções mais aguardadas dos últimos tempos.
De acordo com a publicação, esta empresa recorre processo Fischer-Tropsch para transformar H2O (água) e CO2 (dióxido de carbono) em hidrocarbonetos líquidos, como é o caso de gasolina sintética ou gasóleo. E a taxa de eficácia é, defendem, de 70%.
Com o nome ‘Power Liquid’, este engenho combina, primeiramente, células eletrolíticas de óxido sólido para a conversão de energia elétrica em vapor. De seguida, explica o CNet, é removido o oxigénio proveniente do vapor e produzido o hidrogénio, utilizado, de seguida, para reduzir o dióxido de carbono em monóxido de carbono.
Neste processo, o hidrogénio e o monóxido de carbono obtidos numa primeira fase são sintetizados em combustível.

Fonte: Notícias ao Minuto

sábado, 22 de novembro de 2014

Click to Pray é a nova app para rezar

O Secretariado Nacional do Apostolado da Oração lança na sexta-feira, em Fátima, a aplicação móvel de oração Click to Pray, que pretende propor uma nova forma de rezar através dos meios digitais. O Click to Pray disponibiliza "propostas de oração, simples e breves, para três momentos do dia, durante os 365 dias do ano".
"É também uma rede social de oração, que permite colocar num mural as intenções de oração de cada um e rezar pelas intenções dos outros utilizadores", refere o movimento, adiantando que a iniciativa "inclui a proposta/desafio mensal de rezar pelas intenções que o papa Francisco confia ao Apostolado da Oração a cada mês".
A plataforma www.clicktopray.org integra um site, uma aplicação móvel para Android e IOS, as redes sociais Facebook e Twitter e mailing, possibilitando a cada interessado escolher a forma como pretende aceder às propostas de oração. A app, gratuita, está disponível na App Store e Google Play.
A este propósito referiu que "os ritmos do dia-a-dia não favorecem muito o silêncio, a reflexão", defendendo a necessidade de "ir ao encontro de onde as pessoas estão e hoje estão muito nas novas tecnologias".
Através do Click to Pray pretende-se "criar novos canais de comunicação e vivência da fé", para além dos "canais tradicionais, que são os livros, as celebrações litúrgicas", assinalou.
O objetivo é "chegar a novos públicos", sobretudo mais juvenil que, "normalmente, usa mais estas plataformas", mas "visa chegar a todos", sublinhou.
O lançamento decorre às 10h00 na capela do Carmelo de Fátima, no âmbito das Jornadas Práticas sobre Comunicação Digital.

Fonte: Correio da Manhã

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Está sempre no smartphone? Cuidado, pode ficar com «postura de sms»

Quem passa muito tempo ao telemóvel, a enviar mensagens, no Facebook ou a verificar emails, anda a exercer demasiada pressão na coluna cervical. Segundo um estudo, a força exercida no pescoço de um adulto quando está a olhar para baixo, em direção ao telemóvel, pode chegar aos 27 quilos. Para compreender o significado imagine carregar um 8 miúdo de anos, à volta do pescoço, várias horas por dia.
Kenneth Hansraj, cirurgião ortopédico em Nova Iorque, é o responsável pelo cálculo do impacto que a chamada «postura de sms» (cabeça inclinada para a frente e ombros caídos) causa. Hansrai encontrou o valor utilizando um modelo computacional de coluna de um ser humano e publicou o estudo na revista Surgical Technology International.
Em média a cabeça de uma pessoa pesa entre 4.5 e 5.5 quilos e, ao ser inclinada, o peso da cabeça faz com que aumente a força exercida sobre o pescoço, que «pode levar a desgaste precoce, degeneração e até a cirurgias», explica Hansraj.
«Quando a cabeça se inclina para a frente as forças que registamos no pescoço disparam para 12 quilos com a inclinação a 15 graus» e chegam a «27 quilos se a inclinação for de 60 graus» afirma o médico.
Como as pessoas passam cada vez mais tempo a olhar para o telemóvel, se não tiverem o cuidado de elevar o ecrã a uma altura boa para o pescoço, então as suas colunas vão estar muito tempo debaixo de stresse.
Hansraj vê muitos pacientes debruçados sobre os dispositivos, o que pode resultar em dor nas costas e no pescoço. Quando um homem não parava de ter problemas, o médico descobriu que ele passava quatro horas por dia a jogar no iPad, com a cabeça inclinada para baixo.
«Pode-se chamar isto de epidemia. Onde quer que vá, basta olhar à volta: as pessoas estão de cabeças para baixo a olhar para o telemóvel, especialmente os adolescentes», disse Hansraj ao Today. «Não sou contra a tecnologia. A minha mensagem é muito simples: basta estar ciente de onde a cabeça se encontra».
O médico decidiu dar algumas dicas para evitar dores no pescoço ao usar o telemóvel:
«Não é preciso colocar o dispositivo ao nível dos olhos. Os olhos têm uma amplitude de movimento, o que permite olhar para o telemóvel sem inclinar a cabeça»;
«Para manter as articulações do pescoço flexíveis, mover a cabeça da esquerda para a direita várias vezes e tocar com o ouvido no ombro em ambos os lados»;
«Colocar as mãos na cabeça, para fornecer alguma resistência, enquanto empurra a cabeça para frente e fazer o mesmo para trás. Isso fortalece os ligamentos e os músculos que sustentam o pescoço».

Fonte: TVI24

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Philae encontrou moléculas orgânicas no cometa

A sonda Philae, que aterrou no cometa 67P, descobriu que a superfície é mais dura do que o esperado e que a atmosfera contém moléculas do tipo que está na base da vida na Terra.
Começam a chegar os primeiros resultados dos testes realizados pela sonda robótica Philae ao cometa 67P. A Agência Espacial Europeia (ESA) revelou hoje que a superfície é mais dura do que se esperava. E foi detetada a presença de moléculas orgânicas que estão ainda a ser analisadas.
Certo é que se tratam de moléculas de carbono, do tipo que está na base da vida na Terra. Estes compostos foram detetados pelo Cosac, conjunto de instrumentos alemães a bordo da Philae que tinham a missão de "cheirar" a atmosfera do cometa, escreve a BBC.
Fred Goessmann, o investigador responsável pelo Cosac acrescentou à estação britânica que ainda se está a analisar a composição destas moléculas, pelo que não referiu nada acerca da sua complexidade.
Outro instrumento, o Mupus, equipado com um martelo com vista pesquisar o solo do cometa, descobriu que existe uma camada de pó à superfície de 10 a 20 cm de espessura. Debaixo desta está gelo muito duro. Tanto que o pequeno martelo não conseguiu escavar.
"Era mais rijo do que esperávamos, mas dentro dos parâmetros do modelo teórico", afirmou à BBC Mark McCaughrean, conselheiro científico da ESA. "Não podemos excluir a possibilidade de se tratar de rocha, mas sabemos que a densidade média do cometa é de 0,4 gramas por centímetro cúbico. Não há qualquer hipótese de ele ser feito de rocha", acrescentou.

Fonte: Diário de Notícias

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Glance, a app que lhe permite 'ver-se' durante o sexo

Alguma vez se perguntou que imagem transmite ao seu parceiro durante o sexo? Pois bem, agora poderá descobrir com uma aplicação criada para o Google Glass chamada Glance, conta o site Metro.
Há uma nova aplicação que vai revelar um segredo bem guardado: as expressões que faz durante um ato sexual. Esqueça os espelhos na parede, o Glance promete-lhe muito mais que isso.
Estará, segundo escreve o site Metro, para breve o lançamento desta app para iPhone que vai permitir captar o ato sexual na perspetiva de cada um dos envolvidos, deixando, por exemplo, para o pós-sexo a recapitulação da performance.
Para poder fazer uso desta, precisam os dois envolvidos de ter uns óculos destes. A partir daí basta dizer em voz alta: ‘ok glass, está na hora’ e ‘ok glass, acabou’, para começar e acabar, respetivamente, a gravação. Simples. Também o pensaram os criadores que inventaram a aplicação numa maratona de programação que durou três dias.
A ideia deles foi simples. Usar os Google Glass para a exploração da experiência sexual, mas se calhar nem todos vão gostar desta 'intromissão'.

Fonte: Notícias ao Minuto

domingo, 16 de novembro de 2014

Mozilla cria botão para apagar histórico rapidamente

A versão 33.1 dp Firefox traz um botão que facilitar a eliminação dos últimos links que pesquisou na internet. Ao adicionar o botão 'Esquecer' à barrada de ferramentas, pode facilmente apagar o histórico dos últimos cinco minutos, duas horas ou do último dia.
Apenas os dados do período de tempo selecionado são apagados. Esta nova função junta-se à opção de navegar numa janela anónima, que não guarda os dados da navegação.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 15 de novembro de 2014

Cientistas põem voluntários a sentir fantasmas em laboratório

A noção de que está alguém perto de nós quando na realidade ninguém se encontra - o que muitos definem como sentir uma presença "fantasmagórica" - cria-se quando uma determinada zona do cérebro é ativada, concluiu um estudo agora publicado.
Os cientistas criaram até uma experiência de laboratório que recria essa sensação.
O documento, publicado na revista Current Biology analisa o processo cerebral em causa e descreve como é possível repeti-lo numa experiência controlada.
"A sensação é muito vívida. [Os participantes] sentem a presença de alguém que não conseguem ver. É sempre uma presença pressentida", afirma Giulio Rognini, do Politécnico Federal de Lausanne (EPFL).
Este tipo de sensações é frequente em pessoas que passam por situações extremas, como montanhistas, bem como indivíduos com determinadas condições cerebrais. Os investigadores analisaram os cérebros de 12 pessoas com doenças neurológicas que afirmavam ter experimentado uma presença fantasmagórica. Descobriram que todos estes pacientes tinham algum tipo de dano ou malformação em zonas do cérebro associadas com a auto-consciência.
Os cientistas depois testaram 48 pessoas saudáveis, que nunca tinham passado por qualquer experiência "paranormal".
Submeteram estes voluntários à seguinte experiência: de olhos vendados, o indivíduo manipula um robô que tem à sua frente. Enquanto faz isto, um outro braço robótico repete os movimentos nas costas do sujeito.
Quando os movimentos estão sincronizados - ou seja, se realizam ao mesmo tempo - a pessoa não sente nada fora do vulgar.
No entanto, quando se programa um atraso entre o movimento do robô da frente e o que está nas costas, alguns voluntários disseram ter a sensação de que mais alguém se encontrava na sala.
O efeito foi sentido em cerca de um terço dos indivíduos, chegando em dois deles a ser de tal forma intenso que eles pediram para parar a experiência, por terem ficado assustados.
"O nosso cérebro contém várias representações do nosso corpo no espaço. Em condições normais, ele é capaz de criar uma imagem unificada da percepção do nosso ser a partir dessas representações. Mas quando o sistema funciona mal por causa de uma doença - ou, neste caso, de um robô - pode-se criar uma segunda representação do nosso corpo, que já não é entendido como 'eu' mas como uma 'presença'", explica Giulio Rognini no artigo publicado na página da EPFL.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

E o tecido mais diferente de todo o corpo é...

O ADN humano contém cerca de 20 mil proteínas, que contêm as instruções para a criação e o funcionamento de cada parte do corpo. O projeto Atlas da Proteína Humana está a criar uma enorme base de dados que descreve qual a combinação de proteínas que cada tipo de célula necessita para funcionar.
Uma vez que a combinação das proteínas ativas define a função da célula, a compreensão e catalogação destes dados é de grande importância não apenas para o conhecimento científico mas também para a criação de novos tratamentos.
Na sua análise, os investigadores concluíram que no tecido dos testículos contém 999 proteínas que estão consideravelmente mais ativas do que em qualquer outra parte do corpo.
Em jeito de comparação: o cortex cerebral tem 318, o fígado 172 e o tecido muscular zero.
O líder do projeto, o professor universitário Mathias Uhlen, em declarações à BBC, teorizou que esta diferença encontra justificação no complexo método de produção de esperma, que precisa de ter 50% mais ADN do que uma célula normal.
Além de curiosidades como esta, o Atlas da Proteína Humana é uma poderosa ferramenta para a criação de medicamentos, por exemplo. "Há cerca de 600 proteínas que são o alvo de medicamentos. [Com esta informação] pode-se saber onde é que estes alvos estão localizados no corpo humano, o que dá indicações sobre efeitos secundários", afirmou ainda o cientista à BBC.

Fonte: Diário de Notícias

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) divulgou hoje que num estudo que envolveu mais de 400 crianças nascidas entre 01 de junho de 2011 e 31 de maio de 2012 verificou-se "que cerca de um terço dos bebés muito prematuros avaliados, teve algum problema de saúde que implicou, pelo menos, um internamento hospitalar no primeiro ano de vida", principalmente devido a complicações respiratórias.
Assim, o estudo, no âmbito do projeto europeu EPICE, revelou que os bebés "que apenas estavam a receber leite artificial, à data da alta hospitalar da Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, tinham duas vezes mais risco de serem 'reinternados' durante o primeiro ano de vida, quando comparados com os bebés que estavam a receber leite materno".
Os resultados preliminares do estudo sobre bebés prematuros, que tem em Portugal como investigador principal o presidente do ISPUP, Henrique Barros, mostram que, "aos dois anos de idade, 6% das crianças tomam medicação para a asma diariamente e aproximadamente 20% tomam qualquer outro tipo de medicação regularmente".
O documento recorda que, em Portugal, oito em cada cem bebés são prematuros e um em cada cem nasce com menos de 32 semanas de gestação.
O projeto EPICE (Cuidados Intensivos Neonatais Eficazes na Europa, na sigla em inglês) abrange 11 países e é coordenado em Portugal pelo Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto em parceria com o ISPUP.
A iniciativa pretende "construir uma base de conhecimento empírico sobre como as provas científicas se traduzem em provisões dos serviços de saúde nas unidades de obstetrícia e neonatais", para além de "identificar catalisadores para a aplicação de práticas assentes em provas" e "desenvolver estratégias para alcançar mudanças nos cuidados de saúde neonatais".

Fonte: Diário de Notícias

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Sociedade Portuguesa de Pneumologia desaconselha uso do cigarro eletrónico

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia defende que o cigarro eletrónico é "um retrocesso" na luta contra o tabagismo, pelo que recomenda que não seja utilizado enquanto os efeitos e a eficácia não forem provados.
"O cigarro eletrónico não deve ser utilizado enquanto não se conhecerem os efeitos que têm na saúde, e não devem ser utilizados na cessação tabágica enquanto não houver ensaios clínicos fiáveis que provem a sua eficácia", afirmou a Coordenadora da Comissão de Trabalho de Tabagismo, Ana Figueiredo, citada em comunicado da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP).
Segundo a Organização Mundial de Saúde, na Europa, o tabaco é responsável direto por cerca de 85% das mortes por cancro do pulmão, 70% das mortes por DPOC (doença pulmonar obstrutiva crónica) e 15% das mortes por doenças cardiovasculares, pelo que "esta é uma luta que passa também por manter uma posição desfavorável em relação ao uso de cigarro eletrónico".
A Sociedade Portuguesa de Pneumologia e a Sociedade Portuguesa de Cardiologia reuniram-se este sábado numa sessão institucional para debater aquela que figura como uma das principais causas da doença respiratória e cardiovascular.
Os dados do Relatório "Prevenção e Controlo do Tabagismo em números -- 2013", do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo, revela que mais de 90% dos fumadores portugueses iniciaram o consumo antes dos 25 anos e que existe uma tendência para o aumento do consumo de tabaco entre os jovens escolarizados.
Um cenário que a SPP considera a ter em conta: "Alguns jovens não fumadores podem começar a usar e-cigarros por acreditarem ser menos nocivo do que fumar cigarros. Esta é uma questão que não podemos negligenciar. Não se trata apenas de olharmos para o cigarro eletrónico como um incentivo ao consumo e dependência da nicotina mas também como um retrocesso na longa batalha que ao longo dos anos temos vindo a travar contra o tabagismo", acrescentou Ana Figueiredo.
Segundo o presidente da SPP, Carlos Robalo Cordeiro, "é urgente" que a questão do cigarro eletrónico seja regulamentada". Isto "para que dentro de 20 anos não tenhamos uma nova geração de fumadores, conquistados através dos cerca de 7000 sabores existentes no mercado e das atrativas campanhas publicitárias como as que em tempos conferiram glamour ao cigarro".
"Congresso não fumador, incluindo equipamentos eletrónicos" foi a mensagem que o XXX Congresso de Pneumologia procurou transmitir, à semelhança do que ocorreu no Congresso da European Society Respiratory (ERS), realizado, em setembro, em Munique.
Asma brônquica, DPOC, cancro do pulmão, pneumonias, cuidados respiratórios domiciliários e reabilitação respiratória foram temas debatidos no XXX Congresso de Pneumologia que reuniu mais de 700 profissionais de saúde nacionais e internacionais.

Fonte: DIário de Notícias

domingo, 9 de novembro de 2014

Como serão os aviões em 2050?

As aeronaves do futuro terão de ter mais preocupações do que acomodar os passageiros. É que o número de voos deverá aumentar muito até 2050 e, como consequência, também os valores de gases tóxicos projetados na atmosfera.
Para fazer face a esta realidade, engenheiros e grandes marcas trataram de projetar concetualmente as aeronaves do futuro. Para já, o maior desafio é tentar tornar os aviões completamente elétricos.
Veja algumas imagens das aeronaves do futuro.

Fonte: Notícias ao Muinuto

sábado, 8 de novembro de 2014

Dinossauros americanos e ibéricos tiveram evoluções distintas

Os dinossauros ibéricos e americanos tiveram evoluções distintas após a separação dos continentes, defendem paleontólogos, entre eles um português, que apresentam na sexta-feira na Alemanha resultados de escavações realizadas nos Estados Unidos.
O paleontólogo português Pedro Mocho, 27 anos, que integra a equipa internacional, disse à agência Lusa que os investigadores estão a encontrar «ligeiras diferenças» entre achados de saurópodes, dinossauros herbívoros de grande porte e cauda comprida, descobertos no deserto norte-americano e em Portugal.
Há 150 milhões de anos os atuais territórios da Península Ibérica e do Canadá, que até então estavam unidos numa única massa terrestre, começaram a desagregar-se, afastando os continentes europeu e americano.
«Isso permitiu que as faunas portuguesas e da Península Ibérica evoluíssem de forma diferente», explicou o paleontólogo.
O português, que está a fazer doutoramento na Universidade Autónoma de Madrid e faz investigação para a Sociedade de História Natural de Torres Vedras, adianta que as pequenas diferenças encontradas levam a equipa a pensar em novas espécies de dinossauros, hipótese que só poderá ser confirmada por estudos laboratoriais do material recolhido.
A equipa vai apresentar na sexta-feira os primeiros resultados científicos do estudo, durante o congresso de paleontologia que decorre até sábado em Berlim e que reúne este ano o maior número de investigadores portugueses, cerca de uma dezena.
O grupo de 15 investigadores, espanhóis, americanos e argentinos, além do português, integram desde 2006 um projeto científico de prospeção e escavação de fósseis de dinossauros no deserto de Utah, um estado do oeste norte-americano, a pedido do Museu de História Natural de Los Angeles.
Pedro Mocho referiu que nas escavações do último verão, os paleontólogos encontraram numa mesma jazida «pelo menos três» saurópodes diferentes.
Os achados têm também a particularidade de serem da cor «verde-esmeralda», fenómeno para o qual os cientistas ainda não encontraram uma explicação.
«Ou os minerais fizeram com que esses ossos ficassem verdes ou tem a ver com presença de uma argila, que também é verde, e que em concentrações maiores poderá ter dado essa coloração aos ossos. Foi muito posterior ao enterramento do animal», afirmou Pedro Mocho, apontando hipóteses prováveis.

Fonte: TVI24

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

WhatsApp: agora vai poder saber se leram as suas mensagens

O Whatsapp acaba de «complicar» a vida dos utilizadores. A aplicação introduziu um sistema que permite ao utilizador saber se a sua mensagem foi lida ou não pelo destinatário através de um duplo «visto» azul.
No entanto, esta novidade não está a ser muito bem recebida pelos utilizadores da app, que considera um método pouco discreto para quem não gosta de ser ignorado. No entanto, caso tenha um iPhone, os vistos poderão ser suprimidos, para alívio de alguns utilizadores.
A empresa explica que os «vistos são importantes porque indicam o estado de envio e receção de uma mensagem» como o exemplo apresentado em baixo.
A novidade gerou vários comentários nas redes sociais, sendo o mais repetido o de «já não poderás ignorar ninguém», e a criação de vários memes a gozar com a nova funcionalidade.

Fonte: TVI24

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Cocaína e heroína alteram química do cérebro como Parkinson

A cocaína e a heroína induzem alterações moleculares nas células neuronais que são semelhantes às que se observam em doenças neurodegenerativas, como a de Parkinson. A descoberta foi feita pela equipa de Catarina Resende de Oliveira, do Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra, e vem juntar-se a um corpo crescente de estudos que apontam para que as drogas como a cocaína ou a heroína, mas também a canábis, mais conhecida por marijuana, causam alterações de longo prazo em determinadas células e estruturas no cérebro.
A investigação da equipa de Coimbra foi feita em células de ratinhos, no laboratório, e a fase seguinte, os estudos em animais, ou in vivo, já deveriam estar em marcha, mas a falta de de financiamento inviabilizou a sua continuação. "Concorremos a um projeto nesse sentido, mas não conseguimos verba", explica Catarina Oliveira ao DN. "Vamos esperar pelo próximo concurso [da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, CCT], que ainda não sabemos quando abrirá", diz a investigadora.
A verificação daquelas semelhanças moleculares nos neurónios de ratinhos, tanto pelo efeito daquelas duas drogas, como pelas consequências neurodegenerativas da doença de Parkinson já eram, por seu turno, a sequência de anteriores estudos da equipa portuguesa sobre a ação da cocaína e da heroína nas células cerebrais de ratinhos. Com esses trabalhos anteriores a equipa de Catarina Oliveira tinha demonstrado que aquelas duas drogas induzem a degenerescência dos neurónios e até a morte celular.
Estes estudos integram um corpo crescente de investigações cujos dados mostram com uma nova clareza que o consumo de substâncias psicoativas deixa marcas perenes, talvez definitivas, nas células de algumas estruturas cerebrais.

Fonte: Diário de Notícias

terça-feira, 4 de novembro de 2014

900 jogos clássicos disponíveis para jogar no browser

São jogos que fizeram furor entre os anos 1970 e 1990 e que agora podem ser disputados online.
O site The Internet Archive reúne agora 900 videojogos de arcade, numa coleção chamada ‘Internet Arcade’, conta o Mashable.
‘Astro Invader’ e ‘Pac Man’ estão entre os clássicos agora disponíveis para os amantes de jogos.
Os clássicos podem ser jogados de forma gratuita, mas o Mashable alerta para a falta de qualidade a nível gráfico de alguns, o que dificulta o jogo.

Fonte: Notícias ao Minuto

domingo, 2 de novembro de 2014

Fotografias impressas em 3D para invisuais

Tecnologia pretende dar a oportunidade aos cegos de recordarem as memórias de infância.
Ver uma fotografia da infância e relembrar aquelas férias de verão é fácil e enriquecedor. Mas não acessível aos invisuais.
"Touchable Memories" (memórias tocáveis, em português) é um projeto que permite imprimir em plástico fotografias antigas para que os invisuais relembrem momentos da sua vida.
Fred Bosch, o impulsionador do projeto, patrocinado pela Pirate3D, uma empresa de impressoras, diz que era visível "as emoções nas caras [das pessoas que participaram], como se estivessem a viajar no tempo".
"É quase como os sonhos, uma rajada de vento - está ali e depois já não está", foi a descrição de Daniela, uma das participantes.

Fonte: Correio da Manhã

sábado, 1 de novembro de 2014

Uma abóbora em levitação para comemorar o Halloween

A moda do Halloween - tradição que os norte-americanos fizeram sua - está a espalhar-se pelo mundo. E não são só as crianças ou os jovens que se divertem a brincar às bruxas.
Este ano, alguns cientistas decidiram oferecer ao mundo nada menos do que um Jack-o-Lentern, uma das famosas abóboras com cara maléfica, que levita. Mesmo. O vídeo foi tornado público na página do YouTube da The Royal Institution.
Por trás da aparente magia está, obviamente, ciência. A abóbora está a levitar num campo magnético criado usando uma particularidade de determinados materiais chamada supercondutividade.
Diz-se que um material é supercondutor quando permite que os eletrões de uma corrente elétrica o atravessem sem qualquer resistência. É possível criar materiais de cerâmica com estas características, desde que arrefecidos a temperaturas próximas do zero absoluto (-273º Célsius). O campo magnético criado por esta corrente é suficientemente forte para repelir matéria. Como é o caso da abóbora nesta página... ou do pobre sapo no vídeo abaixo -- este flutua sob o efeito de ímanes tradicionais.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Empresa pretende lançar carro voador "em dois ou três anos"

"A produção começará em dois ou três anos", afirmou à agência espanhola Efe o porta-voz da Aeromobil, Stefan Vadocz, no fim da apresentação do protótipo no aeroporto de Nitra, Eslováquia, e num festival de empreendedorismo em Viena, Áustria.
A Aeromobil quer produzir em série um veículo comercial - AeroMobil 3.0 - que pode circular na estrada como um carro normal e em poucos segundos acionar umas asas que lhe permitirão voar a cerca de 200 quilómetros por hora.
Segundo Vadocz, o modelo, ainda na fase de ensaios, precisa de algumas modificações, embora esteja "muito perto da versão final".
Atualmente existem pelo menos 10 empresas no mundo que tentam desenvolver um veículo multimodal que reúna as funções de um carro convencional e de um avião.
A Aeromobil considera que o aparelho pode ter interesse em países com fracas infraestruturas rodoviárias, permitindo ligar duas localidades distantes de uma forma mais confortável.
O protótipo eslovaco, de dois lugares, seis metros de comprimento e 449 quilogramas de peso, tem asas dobráveis de fibra de carbono e um motor a gasolina.
Com as asas abertas, o AeroMobil 3.0 tem 8,3 metros de envergadura e dois volantes, um para estrada e outro para o ar, com uma velocidade de descolagem de 130 quilómetros por hora, autonomia de voo de 700 quilómetros e consumo de 15 litros por hora.
Como se trata de um protótipo, até ao momento ainda não se sabe qual seria o preço de venda, que dependerá da procura.

Fonte: Notícias ao Minuto